domingo, 15 de julho de 2012

5ª fase de Amor Aos Pedaços -Reintigração

Existe uma canção que diz:
"O Mundo é uma bola de algodão..",nas quatro fases falei de uma história uma história,bem real e que me deixou marcas, para toda a vida,vida essa que ainda na sexta passada queria pôr termo.
Há 5 anos atrás perdi o meu pai,o meu braço amigo,aquele que não precisava falar ,mas ele sabia o que me ia na alma.É bem verdade que os pais e os filhos e as famílias não se escolhem,mas eu entre tantos tios e primas pouco os conheci.
Fazendo um resumo breve, tive uma infância traumatizante ,de tareias,que era um estorvo,que não era minha mãe,etc..tinha uma única defesa o meu pai.
Na escola apanhava da professora por não saber as matérias.
Aprendi desde muito cedo a sobreviver só.
Minha mãe tem demência de alzheimer,mas continua na casa dela com assistência nas refeições,mesmo assim não queria,sai só e continua autoritária ,pois a ela afectou mais o sistema locomotor no esquecimento nem tanto.
Pensei que com a idade e com a doença ficasse melhor,pois bem me enganei,mesmo  a médica diz que ficam pior,portanto está sempre contra mim ,não posso sair porque sair é porque saio estou cansada.
Gosto imenso de fazer trabalho voluntário ,está sempre a refilar que tem vezes que não ligo,mas é difícil ter a nossa família e não ter paz.nem amigos posso ter porque se sabe interfere,é de facto uma pessoa muito difícil e até já me disse que há-de ir ao meu funeral,o Mundo dá tanta volta quem sabe,tem dias que entro em depressão e aí vejo como todo o Mundo é cruel e eu sofro muito com isso,crianças com fome famílias que não tem com pagar suas rendas e por um pouco de pão na mesa...é o Mundo é mesmo uma bola de algodão que cai na nossa mão,frágil tão frágil que pode desaparecer.

Tenho 52 anos e quando entro em desespero e quero fazer a vontade  à minha mãe, também um pouco de cobardia, mas já não tenho forças nem cabeça para viver neste Mundo onde se tenta fazer o bem e vem palhaços fazer pouco de nós,maltratam-nos e não temos quem nos defenda.
Sei que não contribui muito nesta fase, mas fui verdadeira, até um dia.

Festa do décimo aniversário do Blogue Espiritual-idade

  Devagarinho entrando tarde e de fininho venho entrar na festa dos 10anos do blogue Espiritual -idade da grande amiga Roséli...