quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Coelha Noiva Minhota

                                                          
A Lenda da Noiva de Negro
Em tempos muito antigos existiam várias famílias abastadas e  como é de prever queriam que seus filhos ou filhas fizessem bons casamentos, não interessava se se amavam o importante para os rapazes era trazer um bom dote e as raparigas o que interessava aos pais era um genro filho de uma família abastada, com terras,dinheiro e casas ,havia casamentos que estavam apalavrados desde bebés.
Havia numa aldeia Minhota uma jovem fidalga que desde muito cedo se apaixonou por um rapaz filho de um casal muito pobre, à medida que cresciam seu amor era maior, mas o rapaz viu  que para ficar com a sua amada tinha que fazer algo e resolveu partir para o estrangeiro para ganhar dinheiro suficiente para puder casar com a sua amada, muitas juras de amor foram feitas e a jovem ficou à espera do dia que seu amado chegasse.
Os dias foram passando, os meses, os anos e a jovem deixou de o ser, mas continuava com pretendentes,mas recusava sempre e a tristeza começou apoderar-se dela, de tal forma que pensou que seu amado tinha morrido e decidiu vestir-se de negro,




passava os dias à janela a ver o tempo passar, para ela ele até parava.
Mas num dia, quando estava na janela ao longe avistou um vulto, que lhe lembrou a silhueta de alguém,do seu amado. Seu coração pressentiu e começou a bater mais depressa, mas a moça estava tipo estátua mas conforme o vulto se aproxima começa a definir formas, olha bem a pessoa que ainda está distante sai de casa a correr em direção ao homem que olhando para ela a aguarda de braços abertos.
Com tantos anos perdidos saíram logo dali direitos à Igreja e pedir ao Senhor Prior para os casar, foi com a pressa que estavam e para não perderem mais tempo que a moça casou de negro, ainda houve tempo para a noiva levar uma flor na mão.

VIII-Interação Fraterna de Natal

VIII--INTERAÇÃO  FRATERNA DE NATAL Qual a Estrela Guia do meu Natal? A Estrela que me guia é a Estrela Mãe, a Estrela que surgiu ...